sábado, maio 31, 2008

Pintura

Moldura. Tela grande. Eles estão juntos. Ele abriu a janela. A luz entrou. Grande. Ela olhou para a tela. Ele olhou-a. Nós estamos aqui as duas. Almas. Podemos estar onde quisermos. Até na tinta. Ele mistura as tintas. Ela encaixa a tela no cavalete. Um pouco mais para a direita. Assim. Uma garrafa de água tomba. Ele volta a pô-la no lugar. Vamos pintar o nosso amor. Ela segura num pincel. Escolhe a cor. Quero pintar aqui. Pintam. Ele de traço largo. Confiante. Ela detalha as particularidades. Aquela florzinha que cresce na relva. Aquele botão de rosa que ainda não desabrochou. Ele pinta um céu claro. Contentes. Divertimento. Sem querer ela deixa cair tinta na roupa. Ele risse. Nós também. Ela faz de conta que ficou triste. Ele aproxima-se dela. Quando ele a abraça ela pega no pincel e pinta-lhe a cara. Não perdes pela demora. Ele corre para o balde de tinta e molha a mão. Ela tenta fugir. Nós também. Mas consegue pintar-lhe um lado da cara. Riem-se a bandeiras despregadas. Até faltar o ar. Continuam a pintar. Retoque final. Arrumam as coisas e deixam secar a tinta. Sentados num banco os dois. Eles e nós. Juntos.

Acrescentaste-me uma nova cor na paleta: o amor.

14 comentários:

Ricardo Galvão de Mello disse...

Olá!
Eu também sou como tu, mas praticamente so visito o teu, és o unico contacto que tenho.
Há dias e dias, uns para rimar, outros que nem para uma frase conseguir fazer...

Eu acho que tu tens algo de especial na escrita, a forma como aplicas uma personificação "sui generis" nos teus textos deixa-me pasmado...
a montagem visual que me dás, parece que lá estou, e que sinto o que dizes!
Um texto brilhante, os meus para´béns caro amigo.

Um abraço

Carol Barcellos disse...

Mas que lindo!!! E ainda dizes que os meus textos são mais apaixonados que os teus???
Fiquei encantada, Mr. Blonde! Que jeito lindo de descrever a vida a dois, a cumplicidade, o entrosamento, o ato carinhoso de compartilhar os bons momentos com quem se ama...
Gostaria até de escrever mais, mas acho que as tuas palavras são perfeitas e suficientes, e mais do que isso, estragaria. :o)
Beijos doces cristalizados!!! ;o)

JoanaC. disse...

É verdade! Este texto, tal como os outros, faz-nos entrar na his/estória... Está muito bonito, mesmo!
O tema é muito giro e transmite alegria, muita alegria!

Beijinho.

Marianne disse...

Adoro, adoro, adoro este blog :)
cada texto mais fantástico que o outro :')
beijinho.

sonia disse...

romantico e sonhador como sempre, uma escrita deliciante.

=)

miana disse...

Tão doce e ternurento, sente-se cada palavra e cada toque. Gosto sempre da frase final para deixar o sorriso no ar.
Continua a pintar estes textos.
Eu continuarei a visitar-te ^^,

susana catarino disse...

mais um texto repleto de cor e vida... uma verdadeira tela de escrita e paixao!

carapau combatata disse...

A tranquilidade e a harmonia que transmite cada pausa, provocada por cada ponto final :D

Aqui o carapau gostou.

I'm a Rebel disse...

já tinha saudades dos teus textos :)

Sofia disse...

Mais uma vez gostei muito.

É um texto especial como todos os outros.

Não sei quem são as personagens mas, podiam ser qualquer pessoa e é isso que me agrada.

Beijinho

nuvem disse...

Sempre lindos os teus textos.

Beijo :)

Twlwyth disse...

Uma boa pintura com as palavras, ao teu estilo. Parabéns.

Beijo

R.Joanna disse...

Penso que a música mulheres é mesmo do Martinho da Vila, originalmente, mas não tenho a certeza :)
Quanto a idas e vindas da escola, não há nada que eu não cante :D nem é preciso ter música, na rua ando constantemente a cantarolar.

Quanto a este blo, vou-o sempre mantendo debaixo de olho, embora nem sempre deixe a minha marca.
Voltei para ler os bons textos que nos oferece *

Daniela disse...

Talvez este seja o meu preferido! Gostei bastante, como te disse é bastante criativo e descritivo. Continua a escrever que fazes muito bem. :) bjinhos