sexta-feira, outubro 31, 2008

Horas


Á noite telefonaste. Este tempo de frio. Vou estar o dia todo fora. E no sítio onde vou estar não tenho rede. Mas de noite em casa telefono-te. Prometido. Mesmo se for tarde? Sim. Falamos. Mas quando a ideia que amanhã não iria te ouvir. Perdi-me. O dia nasce. E. Nada. Voice Mail. Nada. Começo a imaginar o que fazes. Como falas. Já deves estar farta de aí estar. Calma. Visto-me e vou para a rua. Passar o tempo. Mas não passa. Olha deixa ver como isto já cresceu. Está na mesma. Vou aquela loja. Já fechou. 5 minutos. 3 minutos. O relógio deve estar a atrasar. Vou almoçar a um restaurante. Ainda não temos ementa. Mais de caminho. Sento-me e peço uma bebida. Jornal. Nada de novo. Pago e saio. Mais um passeio. Dois passarinhos lutam por uma raminho. Lembro-me que esqueci da máquina fotográfica. Sento-me num banco. Almoço. Lanche. Ainda falta tanto tempo. As horas. Basta saber que não estás desse lado neste momento. Já estou em casa. Sala. Quarto. Cozinha. Sala. Hall. Ouço um telefone a tocar. Corro para ele. Não. É do vizinho do lado. Beicinho. Varanda. Fechar a janela. Filme. 2 horas. Pouco. Ainda. Anoitece. Frio. Mesmo. Vou para a coznha preparar o jantar. Avental. Receita de livro. Não é muito complicada. Tabuleiro. Copo. Prato. Talheres. Ocupo o menos possível do sofá. Aninhado. Sem ti não tem a mesma piada. Televisor. Começo a preocupar-me. Não à de ser nada. Trânsito. O telefone toca. Sim é ele. Toque igual. Atiro a manta para o lado e vou em passo acelarado. Levanto o auscultador. O ponteiro dos segundos avança. Olá!

Da próxima vez adianto os relógios só para não sentir que as horas passam devagar. 

7 comentários:

JoanaC. disse...

Tava a ver q nunca mais...
Giro, o texto.

É verdade, há dias em que parece que as horas não passam, mas pronto, há que viver com isso.

Vê lá se comentas o meu, né!

Anónimo disse...

O difícil não é comentar, mas sim escolher um dos magníficos textos para o fazer. Tens uma escrita contagiante!
"Destino", "Verdade" e "Pintura" são alguns dos textos que mais gostei. Talvez porque seja pertinente que o nosso destino nos fale sobretudo e, principalmente, sobre a verdade. Uma verdade em tela grande, com traços que nos sejam queridos.

Continua e não deixes de escrever.
de alguém que já sabias que gostava dos textos e disseste que a melhor recompensa seria comentar, aqui está. xana

Anónimo disse...

podia estar aqui a fazer uma grande descrição dos teus textos mas nao posso, nao consigo...a tua maneira de escrever é única, nao sei...simplesmente consigo entender aquilo que queres dizer,... que transmites de uma forma tao viva, tao colorida, tao pormenorizada,com tanto sentimento!

nao vou escolher 1 texto preferido, porque cada um na sua medida é perfeito, nem que seja a última frase, mas torna todo o texto simplesmente perfeito!

muitas vezes venho reler os textos...acredita que é uma espécie de 'refúgio', muito bom por sinal =D
a única maneira de finalizar o meu comentário é pedindo: nao páres de escrever! =D

tal como o comentário (da xana) acima, eu sou uma pessoa que já sabias que gostava dos teus textos =D vou ajudar-te...fala com a silvia... =P
bjs
vanessa semedo

Ivan disse...

Conheci o blog da Paula.
E vim conhecer o seu.

Tenho procurado blogs que tenham propostas similares a um dos meus!

Aqui também é encantador.

Ana Correia disse...

Quero mais textos para 2009!!!

beijinho

miana disse...

As horas custam a passar quando estamos longe, cada minuto sufoca-nos... Parece que o relógio se ri para nós (ou se ri de nós) quando ansiamos pelo sabor das palavras da outra pessoa... Mas felizmente nada é eterno (nem a espera pelo telefonema) ^^
Bjnho grande***
(Feliz ano novo =P)

nuvem disse...

Ainda não tinha lido este. Valeu a pena, como sempre.

Beijo